sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Esses olhos azuis...


E esses olhos azuis...? Azuis como as águas que curam da tua cidade; e como as águas da tua cidade, teus olhos também curam. Alguns instantes bastam, para aliviar a alma, conter as angústias, e estancar o veio das desilusões.
Esse teu modo simples de proceder, tão simples como a vida verdadeira deve ser vivida. Por um momento, pensei que o mundo fosse bom.
E esses olhos azuis...? Um azul que às vezes se confunde com o verde, e reflete a luz do sol em paz e calmaria...
... um azul que, teimando em ser verde, faz a gente se desesperar à procura do ângulo perfeito para a fotografia na janela, num final de tarde...
...que, ainda relutando em ser verde, faz a gente se enrolar com as palavras, numa incoerência constrangedora, quando o mais certo, seria tocar as mãos e somente agradecer. Porque, afinal de contas, mesmo sendo o melhor recurso contra o esquecimento, as palavras são as que menos importam, quando se tem diante de si, “olhos azuis" como os seus para olhar.

Saulo Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário